projeto

estudos preliminares

Entrevista completa com o cliente/usuário da edificação, para detectar suas necessidades espaço-funcionais e preferências estéticas.
Visita ao local da futura obra, averiguações de medidas e de levantamentos planialtimétricos, inserção urbana, vizinhança, legislação local, insolação, paisagem.
Análise do conjunto de informações e criação da proposta.
Apresentação dirigida ao cliente solicitante, geralmente composta por planta baixa, layout de móveis e equipamentos e imagens em perspectiva da volumetria, além de outros esquemas e croquis quando necessários.



anteprojeto
Após  análise conjunta acerca dos estudos preliminares apresentados, possíveis mudanças serão avaliadas, re-estudadas e apresentadas novamente ao cliente solicitante, com alguns acréscimos de detalhes e aprofundamentos do problema.



projeto executivo
Desenvolvimento do anteprojeto já aprovado pelo cliente, até que este torne-se projeto técnico para execução da obra, dirigido aos construtores.

 

projeto legal
É o projeto para a aprovação nos órgãos competentes, prefeitura municipal, administração de condomínios e outros. Preparação de toda a documentação necessária, desenhos, registros de autoria e responsabilidade técnica, declarações, requerimentos, memoriais descritivos.
Acompanhamento do processo junto aos órgãos para obtenção dos alvarás e licenças desejados.



Obs.: Em todas as etapas de projeto de arquitetura é possível e por vezes desejável que haja a participação de outros profissionais envolvidos (engenheiros eletricistas, hidro-sanitários, estruturais, paisagistas, designers, etc), responsáveis por projetos que complementarão as informações necessárias para a execução da obra.

consultoria

Atendimentos verbais, no escritório ou no local objeto da consulta, onde o arquiteto analisa a  situação, dá orientações, possíveis soluções, indica fornecedores, faz croquis à mão para demonstrar suas ideias Caso seja necessário, indica e faz orçamento para futuro contrato. As consultas podem ser sobre uma obra já iniciada, sobre a viabilidade de uma reforma, sobre escolhas de terrenos ou sobre as restrições legais e impactos de empreendimentos. 

direção técnica de obra

 

Um bom entrosamento, comunicação e relação de confiança mútua entre arquiteto e construtor são fundamentais para um resultado satisfatório, pois a direção pressupõe responsabilidade técnica legal sobre a construção e é feita através de visitas do arquiteto ao canteiro, bem como atendimentos e reuniões com os construtores no escritório de arquitetura, por telefone ou e-mail.

Os encontros objetivam esclarecimento de dúvidas, troca de ideias, experiências e fiscalização geral da obra. Opções por pequenas mudanças, sugestões na escolha dos acabamentos, testes de cores para pintura, forros, detalhes, iluminação, etc. são frequentes durante a obra e em geral desenhos adicionais ao projeto executivo, mais detalhados,  são fornecidos nesta etapa, à medida das necessidades.

análise e fiscalização 

As associações de moradores de condomínios, através de suas comissões de obra e de profissionais de arquitetura e engenharia contratados para representá-la,  aprovam ou desaprovam previamente os projetos que a elas são submetidos. As análises são primeiramente baseadas na legislação específica para edificações dentro de cada condomínio, em seus regulamentos internos. Mas muitas vezes é necessário conhecimento e interpretação de documentos como código de obras da cidade, plano diretor, código sanitário, leis complementares municipais e até mesmo direito de vizinhança para que eventuais conflitos sejam resolvidos.